Teresina é palco do primeiro casamento comunitário gay em praça pública

Ontem (16/05/2011) quando passava ás 10 horas da manhã na Praça João Luís Ferreira no Centro de Teresina, me deparei com isso, relatado na foto acima, levei um susto pensando que fosse uma peformace de alguma drag queen, mas nem era. Foi algo bem bacana que estava acontecendo e ficquei admirada da coragem e de demonstrar o amor sem se importar com o que a nossa hipócrita sociedade pensa ou diz.

MORRAM!!! TERESINA FOI A PRIMEIRA CAPITAL BRASILEIRA  A SEDIAR UM CASAMENTO COMUNITÁRIO GAY EM PRAÇA PÚBLICA!!!

E Eu estava lá para conferir esse momento histórico e meu post de hoje não é para destruir a vida de ninguém, hoje não! Hoje é totalmente dedicado ao amor, seja como for, entre duas mulheres, entre dois homens, entre homem e mulher, entre homem e poddle. Não importa! O importante é amar sem fronteiras, demonstrar seu amor ao mundo e viver sem se preocupar com o que vão achar. Essas mulheres fizeram isso.

Fiquei muito emocionada, confesso! Chorei!

Mesmo Teresina ainda sendo uma cidade bem provinciana e com pessoas de mente fechada e pequena, mas já observei que há mais tolerância com os homoafetivos que em outros lugares, sendo que há ainda muita gente preconceituosa e homofóbica em Teresina, mais sendo que 80% da população é quase um arcoíris, contando com as bibas enrustidas que ainda não saíram do ármário e que ficam aí se escondendo atrás de uma namorada ou esposa para manter a discrição, mas numa escapada, vai se jogar! Tenho exemplos dentro de casa quando Gérard (meu ex-noivo) dizia que me amava e íamos casar, mas me traiu com meu guarda-costas em Lyon. Já me recuperei do trauma e superei.

Que bom que Teresina deu esse salto e se todas as encubadas terem coragem de se assumirem, os heteros da cidade estarão em extinção. Com a a decisão do STF, os homossexuais podem ter os mesmo direitos das uniões estáveis entre homem e mulher, como a divisão da guarda e sustento dos filhos, possibilidade de pensão alimentícia, herança em caso de morte, partilha de bens em caso do fim da união e facilidades para a conversão da união estável em casamento.

Mais só vi lésbicas casando na Praça, faltou os gays… Cadê os homens? Vamos casar também e ter coragem de assumir o seu amor á sociedade que nem essas mulheres que deram uma lição de coragem e amor.

Que coisa linda!!! Já vi muitos casamentos entre pessoas do mesmo sexo em vários países da Europa, mas fiquei surprise com tamanho acontecimento, um casamento comunitário gay em praça pública para todos verem e até mesmo os homofóbicos de plantão odiando, eles tem que engolir. Parabéns ao STJ do Piauí e ao Grupo Matizes que sempre vem lutando pelo direito dessas pessoas.

Leave a comment

Filed under grupo matizes

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s