Sorry Mazé por não ter ido no seu casamento, é que eu preferi ir ao casamento real

Good Morning World!!!
Estou nesse momento em London assistindo o casamento real ao vivo de dentro da capela. Creio ter sido a única brasileira (de sangue europeu) e piauiense (argh!) a ser convidada diretamente pelos noivos Kate e William para assistir a cerimônia na igreja e depois ir para a festa no Palácio de Buckingham. Para quem não sabe, passei uma temporada na Escócia estudando inglês e história da arte na Universidade de Saint Andrews e depois trabalhei com Kate na empresa do pai dela em Londres. Ficamos very very amigas.
Tive que conversar com Donnatela Versace com urgência para ela providenciar um look para eu ir para o casamento e tive que fazer tudo ás escondidas, pois como estou cercada de gente invejosa, seria capaz de alguém ir fazer alguma macumba em algum desses terreiros da Vila Bandeirantes para que tudo desse errado. Tambem queria evitar a imprensa e paparazzis no meu pé, pois para uma piauiense estar ao casamento real provavelmente o governador me faria uma homenagem ou me daria as chaves da cidade.
Como o chapéu faz parte de looks de festas formais britânicas ainda mais de um casamento real, não poderia fazer feio fui com um vestido e chapéus Versace e uma pulseira de cristais Swarovski com pérolas das Ilhas Maurício (que equivale a 90% do PIB do Piauí). Agora divulgo meu look poderosíssimo a vocês. MORRAM DE INVEJA!!!

Levei um celular escondido no meu penteado e discretamente tirei umas fotos bem escondidas para colocar aqui em meu blog em tempo real. Espero que Kate e William me perdoem por divulgar eles aqui, mas por mais que eu seja fina e elegante, mas ainda tenho um pouco de inconveniência piauiense que herdei e não poderia perder isso por nada nesse mundo. Estou emocionada, me deu vontade de chorar quando vi Kate e William casados indo de carruagem para o Palácio de Buckingham, só que tive que segurar minhas emoções e não agir como uma piauiense e abrir o berreiro, tive que fazer a linha britânica, fria e não chorar. Pois é chique!

Aiiii! O Elton John acaba de me dar um beliscão e pede pra parar de escrever aqui no celular, mas preciso atualizar o blog, acho que ele tá com ciúmes porque estou aqui poderosa do lado do marido dele e deve pensar que estou dando em cima. Deus me livre! Como é que vou dar em cima de uma bicha? Já basta meu trauma com meu ex-marido Gerárd que me traiu com meu guarda-costas. NAM! Traumatizei! A Victória Beckham tá fazendo carão de abusada para eu tambem parar de escrever, mas num tô nem aí. Sou piauiense, tenho personalidade forte, sou mimada e vou continuar fazendo o que eu quero. Agora eu sou sincera, dei em cima do marido dela horrores na cara-de-pau, afinal, o David Beckham é o homem dos meus sonhos.
Quero também aproveitar esse momento para pedir desculpas a minha doméstica Mazé lá de Teresina que mora no bairro Deus quer que também se casou hoje ás 9h da manhã no Fórum Cível de Teresina (aquele perto da Praça João Luís Ferreira) mais outros 125.986 casais. Mazé (que está no seu 5º casamento) havia me convidado para ser madrinha de casamento dela (por interesse, por eu ser RICA, ela pensa que não sei) e no convite dela num vinha nem dizendo o nome dos noivos e saudações primeiro, vinha logo era os presentes. RA RA RA os presentes vinham antes dos nomes do noivo, depois é que tinha o local e a data do casamento. E olha os presentes que ela me pediu: Uma geladeira Brastemp, Um fogão de seis bocas, um sofá e uma televisão de plasma de 42 polegadas da SONY.
Enquanto Kate e William iam de carruagem sendo puxados com cavalos brancos, Mazé chega num caminhão com a mãe, o pai, os seus 4 ex-maridos, os 11 filhos, mais os 66 netos e 7 bisnetos, as primas de nono grau, os 32,5 pares de padrinhos (pois não fui ser madrinha, então, não são 33) e Chiquim (o noivo) que vinha dirigindo o caminhão, pois Chiquim tem um caminhão e trabalha fazendo mudanças e levando materias de construção aos lugares. Minha vó Madeleine me liga me contando tudo que aconteceu. Ah! Mazé acaba de me mandar essa foto de recém-casada com Chiquim (não sei como ela conseguiu realizar tal proeza pois ela num sabe nem mandar mensagem no seu celular) para o meu i-phone.

Oh la la! vejam como Mazé e Chiquim (32 anos mais novos que Mazé) estão felizes. Adorei essa foto-lembrancinha do casório.
Sei que Mazé está puta de raiva comigo por não ter ido ao casamento dela. Sei que ela mandou matar um bode para fazer churrasco, comprou seis grades de cerveja, mandou matar um porco também, fez panelada e sarapatel, comprou vários litros de refrigerante Relva Cola, Relva guaraná e laranja, cachorro-quente e 6 garrafinhas de cajuína (que é mais caro que cerveja e eu não bebo cerveja) para os convidados e para me agradar também. A festa de casamento ia ser no Deus quer na casa da Mazé que tem um quintal enorme onde ela cria galinha caipira e capote, a decoração segue de balõezinhos pretos com vermelho e uma bandeira do flamengo no centro (pois o noivo é flamenguista) e o bolo de casamento dos noivos que era de fubá e coberto com merengue de manteiga. Ah! E o Paulinho Paixão vai cantar lá na festa e sua lua-de-mel irá ser na praia de Atalaia no litoral do Piauí e depois em Tutóia no Maranhão onde Chiquim nasceu.
Desejo aos noivos meus singelos e chiques votos de felicidade e que Mazé dure mais de 3 anos nesse casamento com Chiquim (que é o quinto marido, danadinha ela, hein?). Ah! E como aquei desde o início que Mazé queria me explorar, não comprei todos os presentes que ela me pediu, mas comprei a TV de 42 polegadas da PHILIPS ( que os piauienses odeiam, mas tava mais barata que da SONY), o sofá e a geladeira. O fogão de seis bocas talvez eu compre depois. Ainda dei um chip da tim com infinity pra ela.
Realmente não pude ir ao casamento da Mazé, pois como o piauiense não valoriza a cultura local, comigo não poderia ser diferente. Mesmo na casa da Mazé com um bando de pobre me bajulando, preferi ir ao casamento real em Londres (Claro que não iria perder por nada) mesmo que eu não coma nem um pratinho de salada ou beba uma taça de champagne, mais o importante é estar em Londres dando close, mesmo que ninguem me conheça e digam que eu sou do Piauí. Espero que Mazé me perdoe algum dia, mas a vida é assim. Sou sincera.

3 Comments

Filed under cultura, teresina

3 responses to “Sorry Mazé por não ter ido no seu casamento, é que eu preferi ir ao casamento real

  1. sopossoimaginar

    Como você é estupida”

  2. Owo, co sir Roger zbytnio Randi przelotnie usłyszał, brzmiało niesłychanie interesująco.
    Trusia nie cieszył się
    zbytnią estymą szlachty. Powiadano, że poniżej baranicą, którą wesoły odziewał,
    kryje się zatwardzia.

  3. oporcje iżby odpowiednie? – pomyślał jeszcze.
    Chyba stenographers owszem, nic więcej w tym momencie nie wymyślę.
    Można coraz
    mało smoły… Nie, basta, byle nie przesolić.
    W celu pewności napluł do środka zaś zbyt.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s